“Ele começou a dançar break. Eu não podia acreditar! Suas opiniões sobre The Crown | A coroa

“É de fato uma propaganda da monarquia”

A série deixou um gosto ruim na minha boca. Os elogios de Charles, em contraste com as críticas de Diana, quase pareciam o resultado de uma negociação entre nosso novo rei e os showrunners. Eu me peguei rindo alto em vários pontos, mas o momento mais icônico para mim foi o episódio cinco, The Way Ahead. É compreensivelmente crítico de Charles em relação a ‘Tampongate’, mas de fato termina com um anúncio para a monarquia: Charles fazendo um discurso para o Prince’s Trust, entregando letras líricas sobre como ele também foi alvo de críticas. A paralisação narrativa para inflar a reputação de um homem é risível, e achei que não poderia ficar melhor. Então ele começou a dançar break. Eu não podia acreditar. Break dance! Gosto de pensar que o rei Charles enviou uma carta aos escritores dizendo “você pode dizer o que quiser sobre este telefonema, mas certifique-se de terminar com uma cena pós-créditos no ponto, quaisquer que sejam os bilhões de libras que minha confiança arrecadou. Então mostre eu dançando break. Benjamin, 24, estudante de doutorado, Bristol

“Tivemos que pesquisar no Google os novos personagens”

Estou desapontado. Não entendo por que criar de repente cenários totalmente fictícios. Os dois primeiros episódios foram fracos e desconexos. Como John Major, eu queria deixar o baile. Os criadores parecem querer recriar a Diana no filme spencer. Os personagens se tornam cada vez mais extremos e cada vez mais parecidos com caricaturas e a série corre o risco de perder a humanidade de suas representações anteriores. Esta temporada também adicionou novos personagens e temos que pesquisar no Google quem eles são, pois há pouca explicação. Não tenho certeza se mesmo bons atores serão capazes de salvar o dia. Janet Perkins, West Sussex

“Lesley Manville rouba a maioria de suas cenas”

Excelente… Lesley Manville em The Crown. Fotografia: Keith Bernstein/Netflix/PA

A nova temporada de A coroa capturou soberbamente as dificuldades pelas quais a monarquia passou com o colapso do casamento de Charles e Diana. O papel do falecido monarca foi lindamente interpretado por Imelda Staunton com grande dignidade e um pouco de humor, e outras atuações foram excelentes. Lesley Manville rouba a maioria de suas cenas, mas a maior conquista foi Elizabeth Debicki como Diana – trágica, confrontadora e corajosa. Desempenho excepcional. Jeffrey Karacs, 59, Londres

“Os personagens foram todos tratados com sensibilidade”

Eu realmente não entendo o motivo de toda essa comoção e reação. Gostei muito da 5ª temporada. Os personagens foram todos tratados com sensibilidade e os diferentes pontos de vista apresentados foram bastante equilibrados. As atuações são esplêndidas, especialmente a Rainha Elizabeth de Imelda Staunton e John Major de Jonny Lee Miller. Foi uma versão tão respeitosa e digna que me diverti bastante com todo o alarido que o verdadeiro John Major levantou antes de o programa ir ao ar. Dado que ele aumentou seu perfil e imagem, especialmente com fãs internacionais, talvez ele não devesse ter entrado em pânico prematuramente. Anônimo, 40, Manila, Filipinas

“Por mais controverso que tenha sido, todos os episódios foram bem feitos”

A coroa nunca deixa de fisgá-lo. O elenco fez um trabalho fantástico. Você poderia argumentar que poucos deles realmente se pareciam com seus personagens nesta temporada, especialmente o príncipe Charles, mas isso não me incomodou muito. Eu esperava que o último episódio cobrisse a morte de Diana e estou feliz que eles terminaram a temporada com Decommissioned. Foi uma bela e sutil homenagem à falecida Rainha Elizabeth e terminar com um momento de silêncio foi uma maneira perfeita de fechar o capítulo. Estou feliz que eles escolheram terminar com um episódio lento, depois de todo o drama da temporada. Por mais controverso que tenha sido, todos os episódios foram bem feitos. A história duvidosa de Charles parecia mais um lembrete do que uma calúnia. Sim, ele tomou algumas decisões inadequadas, mas também é uma mudança progressiva e nova talvez necessária para o mundo moderno – e seus escândalos empalidecem em comparação com Hollywood ultimamente. Traga a sexta temporada. Anônimo, 34, Melbourne

“Esta temporada não pareceu voar como as anteriores”

A atuação de todos os protagonistas foi excelente, como sempre – bem, tirando a impressão chocante de Tony Blair de Bertie Carvel. Esta temporada não parecia voar como as temporadas anteriores, especialmente porque havia tanta coisa acontecendo nos anos 90; parecia apressado. O episódio de Mohamed Al-Fayed foi provavelmente o melhor, pois deu uma visão das interações anteriores de Diana com os Al-Fayeds e aonde isso levaria. Paulo, Belfast

“Algumas linhas me fizeram estremecer”

Olivia Williams como Camilla e Dominic West como Charles na quinta temporada de The Crown.
Cada personagem prova, com o tempo, ser uma pessoa complexa e arredondada ‘… Olivia Williams como Camilla e Dominic West como Charles na quinta temporada de The Crown. Foto: Netflix/PA

Continuei a gostar desta série e a admirar a forma como cada personagem se revela, com o tempo, uma pessoa complexa e arredondada. No entanto, esta temporada teve algumas falas que me fizeram estremecer porque pareciam um pouco extremas e injustas, como quando o príncipe Philip disse que a rainha não tinha curiosidade, então ele foi forçado a procurar companhia intelectual em outro lugar. E eu senti que a linha de Charles sobre ser cuidado se eles fossem uma família normal era particularmente dura. Acho que quanto menos “histórico” e “atual” um drama se torna, mais cuidadosos os escritores devem ser. Claire Maycock, 50, escritora, North Wiltshire

“Não sei o que é fato e o que é ficção”

O episódio quatro foi o meu favorito, principalmente por causa do meu amor pelo romance entre Margaret e Peter. Acho que o elenco poderia ter sido melhor, principalmente para Charles. Quanto à reação que recebeu por suas imprecisões históricas, tendo a concordar com ele – mas como um estrangeiro nascido em 2004 sem nenhuma ligação com a família real britânica, não sei o que é feito e o que é ficção. No entanto, eu adoro isso. Leon, 18 anos, Paris

“Sei que é besteira – mas é uma boa distração”

Depois de ler a polêmica sobre a veracidade da série, assisti aos dois primeiros episódios com certa apreensão. Mas fiquei agradavelmente surpreendido. Achei o roteiro bom e as atuações também. Sei que é tudo uma loucura, mas foi uma boa distração do que mais está passando na TV. Os acontecimentos descritos estão na memória de muita gente, ao contrário dos episódios anteriores, dos quais me lembro claramente devido à minha idade. Acho que a maioria das pessoas deve estar ciente de que isso não deve ser levado a sério. No entanto, pode ser que nos Estados Unidos, onde os eventos reais e as pessoas envolvidas não sejam imediatamente claras, pode haver mal-entendidos. Não é mais um programa de história do que Wolf Hall. Andrew Groves, 81, Cúmbria